Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

26.10.21

Metade de Mim


Lia Ramos

 

 

Metade de Mim é meia hora,

A outra metade, meia vida.

Metade de Mim é meia noite,

A outra metade meio dia.

Subo meia rua, meia estrada,

Na bipolaridade dos dias.

 

Metade de Mim é meio grito,

A outra metade, meio silêncio.

Meia de leite, meia torrada, 

Meia praia, meio tempo.  

Meia no pé e no caminho.

Metade cativa na subtração,

Metade liberta na adição.

 

Metade de Mim laranja doce,

A outra metade, meio limão.

 

Meia dose com copo cheio,

Taça de barro em cristal puro.

 

Metade é o que oiço,

E metade é o que calo.

 

Metade abrigo, metade cansaço.

Metade dúvida, metade certeza.

Metade palco, metade plateia.

Metade minha, metade tua.

Metade é desejo antagónico,

Duplicado na serena e gemelar face.

 

Metade é amor,

248700577_2066570866827412_8926970886029094820_n.j

e a outra metade também...

 
 


 

                                                                               

                                                                             

 
 



6 comentários

Comentar post