Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

31.05.21

Mil pintinhas de amor


Lia Ramos

 

 

Vem balançar-te

na essência

deste instinto de lume

e sentar-te no meu riso.

 

Vem colher liberdade

nos cravos rebeldes do meu jardim.

 

Vem  eternizar-te

na seiva pura desta raiz

que ama chuva e penetra a terra.

 

Vem cheirar o perfume das rosas

no secreto aroma que rescende

e espalhar brisas de bem-me-quer.

 

Vem ser amor-imperfeito

nos retoques da pintura

nesta tela de expressão desnuda.

Vem salpicar em nuance e matiz

mil pintinhas de amor...

193694154_1947436408740859_7642600314120939495_n.j

 

 

26.05.21

Perfil


Lia Ramos

O teu perfil 

parece descansar

nas linhas indefinidas do tempo.

Fascina quem o vê

pousado na galeria fria

repleta de silêncios surdos

no túmulo do teu rosto 

onde sepultas sensatez.

Procuro o teu melhor lado

mas o esboço dilui-se

na demora

pela indecisão do traço.

Com os olhos abertos

só contemplo

meio olhar

meio sorriso

meio querer

mas metades não me fascinam

e a luz esconde o ser.

Tento assimilar traços 

aligeirar os vincos do destino

nos múltiplos sinais do teu corpo.

 

Só quando a alma iluminar teu perfil

na perspectiva angular perfeita

poderei fechar os olhos

para te ver 

por inteiro.

 

Eu vi a lua espelhada no teu rosto,

só no teu rosto e nunca em mais nenhum.

foto de menino em preto e branco 8.jpg

 

 

 

 

 

 

24.05.21

Se quiseres.


Lia Ramos

Se quiseres pedaços de alma

suaviza o toque.

Se quiseres  pedaços de lua

 adormece estrelas.

Se quiseres pedaços de mim

 abre os braços.

Se quiseres pedaços de sol

 ilumina os dias.

Se quiseres pedaços de dor

ouve este silêncio cego.

 

depositphotos_63296423-stock-photo-woman-with-open

 

 

 

 

 

24.05.21

O meu desejo é uma janela


Lia Ramos

A minha vida é o rio na corrente

O meu desejo é uma janela voltada para fora

O meu querer escuta o que não oiço.

 

Trago Deus em mim mas no mundo o procuro

Sabendo que em ti o encontrarei.

 

Não sei nada de espaço nem de tempo

Nem de chuvas prometidas na secura da areia.

O meu desejo é uma janela voltada para fora

abrir-as-janelas-sera-suficiente.jpg

A lua e o vento são meu rosto

Os cabelos ondulados já não me pertencem.

Sem identidade assim permaneço

E nenhuma ausência é mais funda do que a minha.

 

 

 

16.05.21

Sabedoria.


Lia Ramos

És flor

Na minha vida

Encanto do meu olhar

Sorriso límpido e belo

Na lembrança

De te embalar.

Teu nome? Sabedoria.

Encaixa na perfeição.

Mulher- Menina

Olhos escuros, curiosos

Frutos doces na mão

Sementes de luz 

No sitio do coração.

 

Quando sinto o teu abraço 

Forte, terno e delicado

Agradeço aos céus

Este presente divino

Tão justo e merecedor

Para sempre registado

Nos autos solenes do amor...

 

 

resize-img.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

15.05.21

A verdade reconcilia-me.


Lia Ramos

Carrego comigo este destino

Feito de medos indolentes

Feito de versos estanques

Feito de gestos ausentes.

 

A cada lua que ilumina a noite

O crepúsculo subtrai-me os dias.

 

E a verdade reconcilia-me

Nesta melodia do céu

Que dentro da alma soa

Na alternância do querer.

 

Mais de mim , menos de ti

Mais de ti, menos de mim.

 

E assim vou contando estrelas

Neste meu incompleto mundo.

 

 

mais-de-ti-menos-de-mim-1-638.jpg

 

 

 

10.05.21

Eu sou como eu sou.


Lia Ramos

Eu sou como eu sou
emotiva, eloquente.

 

Meia lua no olhar

Sol no peito e no ventre.

 

Pari pelo coração

sangrei 

na ilusão entontecida

do ausente.

 

Eu sou como eu sou
simplicidade subjacente

semente num jardim

chuva em terra quente.

 

Colo em flor,

desejo incandescente.

 

Verdade densa

pesada de amargura

na tua ânsia permanente.

 

Pedaço de mim

resistente, possante 

nas curvas do desamor.

 

Eu sou como eu sou

translúcida 

de abrigos

no corajoso ousar

de não ser niguém.

 

Em mim abundam os lírios

enfeito com eles

o teu peito descansado.

 

E vivo tranquilamente
todas as horas do fim.

 

IMG_20210430_195315.jpg



 

08.05.21

Sapatos 37


Lia Ramos
Os sapatos que me foram entregues são lindos, número 37.
Mas eu calço 38...
Nunca percebi a razão de tal dádiva no dia em que nasci.
Não sei se por engano, castigo ou simplesmente vontade de Deus...
Calcei os sapatos logo que comecei a andar, era muito pequenina,  mas nessa altura os meus pés não sentiam dor  porque os sapatos eram grandes,  tão grandes que se descalçavam. Por vezes perdia-os,  e faziam -me criar vazios na alma que depois se enraizaram e cristalizaram no coração...
Ainda hoje carrego esse peso do nada, da perda e da ausência.
Durante o meu percurso fiz  tantas feridas, calos, sangramentos, lágrimas ...
Cada vez que os calçava e tentava entrar onde não havia espaço para mim sentia dor, nos pés e na alma. 
E depois?

bowtie-silk-satin-bigtree-shoes-woman-pink.jpg

 

Depois os sapatos foram alargando, apaixonaram-se pelos pés e moldaram -se ao caminho. Conheceram cada pedra da calçada e cada espinho da rosa.
Tornamo- nos confidentes nas caminhadas da vida e hoje, este lindo par 37, abriu crateras tão profundas que até um pé número 40 se sentiria confortável dentro deles...
 
06.05.21

Tuas mãos


Lia Ramos

Quando as tuas mãos saem 

para as minhas

o que trazem dançando?

 

Já as reconheço

como se sempre as tivesse tocado 

no bailado dos dedos

numa noite fria

de um inverno qualquer...

 

Sabes que as procurei a vida toda?

 

Voei sobre o tempo,

sobre o mar,

sobre o rio,

sobre a primavera

e o outono...

 

Encontrei-as por fim.

 

Na palma das tuas mãos

trazias os versos prometidos

para escrever este poema...

 

Mas só quando as colocaste no meu peito
reconheci essas asas de vento

e essa cor de areia fina...

 

E é neste bailado a duas mãos,

que o toque se suaviza.

E é neste bailado a quatro mãos,

Que o toque ganha vida.

 

 

.

 

 

 

IMG_20210412_195337.jpg

 

04.05.21

Céu Aberto.


Lia Ramos

188626999_1938936636257503_7582768430294240207_n.j

 

Lanço  sorrisos 

Como quem semeia  flores

E fica à espera de ver germinar

Todos os  segredos

Na impaciência do tempo....

Entrego  sorrisos

Como quem alimenta os dias

De um mar revolto

A castigar as rochas

E a inundar a praia.

Ofereço sorrisos

Como quem pede bis

No espetáculo sagrado

Plateia das nossas vidas.

 

E é neste contorno quase perfeito

Dos meus lábios rubros , tão inquietos

Que os teus pedem sossego

Até que o horizonte morra de manhã

E repouse num céu aberto...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

02.05.21

Vem sentar-te no muro.


Lia Ramos

A terra espelha o céu

Numa simbiose perfeita.

Contornas caminhos

Sobes montanhas

Perdes a bússola

Por detrás da robustez da paisagem

Da delicadeza das flores

Da calçada das ruas íngremes.

 

Encontras-te

E encontras-me                                                                                                                     

Na singeleza do momento

Na atenção do querer…

 

Perfumas-te de giestas

Evades os pensamentos

Na tua alma de viajante.

No muro onde te sentas

Na pose perfeita

E no sorriso anunciado

O olhar transborda esperança.

 

Encontras-te

E encontras-me

No sossego das pedras

Na solenidade do momento.

gettyimages-998231160-612x612.jpg

 

 

E então, sussurras-me ao ouvido:

-Lia, vem sentar-te no muro!  

                                                   

02.05.21

Tempo.


Lia Ramos
Esta é uma verdade irrefutável!
Não quero tomar o tempo de ninguém... 
Confesso que aqueles que me oferecem tempo, me são especiais.
Dão- me pedaços da sua vida!!
O melhor presente!!!
Quando queremos muito,
O longe fica perto,
Quando não queremos nada,
A porta do vizinho é a quilómetros de distância...
Abusa na dádiva do teu tempo com quem te espera com vontade,
Sem pressa,
Para partilhar contigo o azul do seu dia,
E o escuro da sua noite...
Abusa na dádiva do teu tempo com quem substitui o TiC TAC dos ponteiros do relógio,
Pelas batidas do teu coração...
Abusa na dádiva do teu tempo,
Com quem quer contar estrelas contigo,
Nem que para isso tenha que demorar a eternidade...
 
 
 
 
 

7poeqcm4o0sgrsu329uoz1gdy_20200626_180749.jpg

 

 
 
02.05.21

Mulher


Lia Ramos
Mulher 
simples e complexa
delicada e forte.
 
Abre o coração ao amor
e observa a tua alma
tão profunda e bela.
 
Mulher
delicioso aroma a rosas 
espalha a brisa no jardim.
Ergue a cabeça
ao sol e abraça a lua.
 
Mulher
regaço de luz e beleza.
Abre o teu colo em flor
e de tuas pétalas
faz desabrochar vida.
 

198893340_1952976731520160_3006783185573985890_n.j

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
02.05.21

Primavera anunciada...


Lia Ramos
 
 
Vem morar em mim
 
desanuviar os meus pensamentos
 
e cantar melodias suaves ao meu ouvido.
 
Vem esculpir no meu rosto um sorriso rasgado
 
despentear - me os cabelos
 
e provocar- me ondas de azul profundo...

Primavera.jpg

 

 
 
 
 
02.05.21

Transparências.


Lia Ramos
 
 

transferir (1).jpg

 

 
 
 
Sem subterfúgios,
sem receios,
sem enredos e mistérios.
O pensamentoe o coração
numa harmonia esclarecedora,
despida de dúvidas.
Como é saudável e prazeroso
deixarmo-nos encontrar neste jogo das escondidas!
Eu encontro- me,
tu encontras- me!!!!
A felicidade que sente quem encontra
e a tranquilidade de quem quer ser encontrado,
nesse delicioso entendimento.
Gosto de gente assim,
leve,
limpa
e fresca...
 
 
 
02.05.21

O amor quer-se...


Lia Ramos
O amor quer-se preso no detalhe,
Na minúncia do gesto,
No pormenor dos dedos.
É teia no emaranhado dos ventos,
É lacre nos versos do poeta.
É laço solto a balançar no precipício.
É ousar pintar o céu,
De um vermelho vivo,
Com tinta permanente,
E tatuar a pele e o coração.
É soltar os pássaros de madrugada,
E vê -los regressar
para se prenderem,
 
Ao entardecer...
 
 
 
 

d1b1-o-significado-do-amor-em-20-imagens-fb.jpg

 

 
02.05.21

Pai


Lia Ramos
Hoje desenho no céu o teu nome, PAI !!!
Vou fazer o esboço numa nuvem para não errar, e sair perfeito!
Vou pintar com tinta verde, a tua cor preferida...
Imagino que fosse. Não sei, nunca soube...
Não me lembro da luz dos teus olhos.
Era tão pequenina!!!
O verde combina com os montes, a nossa terra, a natureza e contigo.
Afinal eras um homem do campo, simples e terno.
Escrevo o teu nome devagarinho e sinto que assim, a cada retoque e a cada cuidado, esboças um sorriso para mim.
Hoje ficamos mais perto...

nossos-desenhos-e-inspiracoes-18468706-02022020034

 

 
 
 
 
 
 
02.05.21

Tudo recomeça.


Lia Ramos
Há que lançar sementes
Aconchegar a terra
Nutrir os dias
Embeber de seiva
Respirar o tempo
Até germinar...
Quando a magia acontece
E a terra vira vida
E a semente vira flor
E a flor vira fruto
E o Eu vira Nós
Tudo recomeça...
 
Há que lançar sementes,
Aconchegar a terra...
 
 

a608798911d0c785faed01b9ddebd61a.jpg

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
02.05.21

Espera.


Lia Ramos

10passos_.jpg

Podia seguir os teus passos
mas os meus deixam pegadas.
 
Podia seguir a tua sombra
mas a minha ofusca os dias.
 
Podia seguir o teu caminho
mas o meu é sinuoso e belo.
 
Podia seguir os teus olhos
Mas os meus vêem violetas amarelas.
 
Não sabes que moro em mim
Procurando o nós?
 
Não sabes que cheiro as tuas rosas
E adormeço nelas?
 
Não sabes que habito nas tuas palavras
E compro poesias ao vento?
 
Não sabes que embalo nas canções
Que me dedicas todas as noites?
 
Engole as madrugadas
Respira os dias
Alimenta os pássaros poisados na janela
E simplesmente espera...
 
 
 
 
 
 
 
02.05.21

Rosas


Lia Ramos
 
As pétalas soltas
Perfumam o ar
A água
A fantasia
E a cama dos amantes.
Depois caem rendidas no chão
Numa luta desleal
Com a lei da gravidade
E com o sedento exalar das narinas.
Já as pétalas juntas, são rosas!
Ligam- se à Terra
Conversam com as raízes
Sentem o chão molhado
A firmeza da cor
A delicadeza do caule
O aveludado do toque
A dor do espinho
O descanso das borboletas...
No ato da colheita,
O corte brusco da mão
A tesoura no coração
A traição pelo trato
A dor da partida
O desapego do roseiral...
Depois...
A missão do enfeite
O namoro com o recipiente
O jeito do encaixe
A água fresca nos pés
O sítio escolhido
O sagrado do altar
O silêncio da sepultura
O secretismo das paixões
O amor de quem dá
O sorriso de quem recebe.
São vitórias perfumadas
Gritos silenciosos de compensação!!!
E quando a morte das rosas
For anunciada
Pelo desapego das pétalas
Ficará a imortalidade do momento
Registada no calor dos afetos...
Agora as rosas juntas, são pétalas!!!
E eu
Sentada no jardim
Observo as rosas
Numa mágica contemplação
E desejo ser como elas!
 

20521.png

 

 
 
 
 

Pág. 1/2