Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

Colo em flor.

Depois de largos anos de adormecimento em relação às palavras, eis o regresso, o recomeço, às tentações da escrita e da criatividade. Enfim, um "parto" de ideias.

Secretas luminárias

28.09.22 | Lia Ramos | comentar
Meus olhos, serão estrelas prisioneiras num céu amendoado? Castanhas cativas num outono nublado? Cristais de pura e imaculada inquietação? Pepitas de chocolate doce amargo?   A quem pertence tamanho deserto que mora no meu olhar?   Lav (...)

Quando serei...?

02.09.22 | Lia Ramos | comentar
Quando serei luar tranquilo Num imaculado sono  Que me devolva a luz amena De quem por dentro se ilumina Das estrelas de um céu pleno?   Quando serei nuvem  Madrugada de orvalho Névoa clara de chuva Brindando com água pura A sedenta e (...)

Amo o traço

31.08.22 | Lia Ramos | comentar
Amo o traço do rosto pintado. Ignoro se a tinta já perdeu o pigmento.  Ignoro se o retoque da cor se esbateu  no aplainamento cavado da terra. Quero as noites nas minhas mãos.  Quero as estrelas a adornar os dias. Quero o silêncio a (...)

As portas querem-se abertas!

27.08.22 | Lia Ramos | comentar
Deixa a porta aberta para que o vento entre na tua casa e a possa arejar por dentro. Abre as janelas, ama os peitoris e abraça as tuas varandas.  Faz-te ao vento, à maresia, ao cheiro, à paisagem e ao caminho.   Faz-te à aragem e (...)

Há Mar na maleta!

02.08.22 | Lia Ramos | comentar
    Sempre gostei de malas. As mulheres costumam gostar de malas.  A primeira mala pela qual me apaixonei era de couro, castanha escura,  pequena e retangular. Tinha uma asa prateada, já enferrujada, e uns carimbos de um alaranjado gasto, (...)

As palavras

29.05.22 | Lia Ramos | comentar
Hoje as palavras não saem à rua. Têm as asas presas e a boca fechada. Os seus braços não me abraçam. Os seus versos não me agitam.  Não nascem em mim. Nem eu nasço nelas. Parto difícil de ideias e luzes. Hoje deito a cabeça nas (...)

Vem colher alfaces!

25.05.22 | Lia Ramos | comentar
Os meus dias normalmente são bonitos, mesmo aqueles em que não aparece o sol. O vento e a chuva são igualmente bonitos.  Sinto-me grata ao universo por tudo aquilo que me dá:  pela vida, pelos filhos, pela saúde, pelos que amo, pelos que (...)

Ocaso perfeito

17.05.22 | Lia Ramos | comentar
  Estava distraída, presa no inverno onde me sentaram. Alma despovoada de sonhos, muito fatigada... Não te almejava tão perto. Sabia-te... Mas longe... Procurei-te em todos os jardins, em todas as estações de mim.   E, após tantas (...)

Trevos

16.05.22 | Lia Ramos | comentar
      Na rua treze, na décima terceira porta, vivem os nossos azares mais perfeitos. Os girassóis gigantes, enfeitam janelas e canteiros, na casa dos afetos. No pátio, o passado e o futuro, mordem os lábios de curiosidade. E nós,  (...)

Nas poesias que ( me) escrevo.

16.05.22 | Lia Ramos | comentar
   Procura-me, nesta ausência de mim, perto dos sentidos e das palavras, e do peso dos dias que teimam em passar devagar. Reconhece-me, nesta alma perdida, atrás de um rosto alvo e, sem vislumbrar meus cabelos, agarra-me os dedos de luz.  Ina (...)

Já chove na minha rua...

16.05.22 | Lia Ramos | comentar
Dancei na nossa rua,em tapetes perfumados de alecrim.As borboletas beijaram-me o cabelo, e a tua boca soube-me a cerejas doces.Houve festa na praça,e o sol fixou morada nos meus olhos.A música infiltrou-se nos meus ouvidos.As sinfonias (...)

Aparentemente sozinho

08.05.22 | Lia Ramos | comentar
Ali vais tu seguindo pela estrada. Aparentemente sozinho. Um caminheiro solitário nesta vida. A estrada não tem só retas, a estrada não tem só curvas e tu não segues só. Deus e os teus pais, lá de cima, acompanham cada passo teu. Eu (...)

Intensidades

21.04.22 | Lia Ramos | comentar
    Ser intenso é defeito? Penso que não! Bem pelo contrário! É jeito de quem nasce assim. É essência. É coragem. É verdade. É amor. É ter a liberdade de sentir, de dizer, de fazer, de viver bem e em paz connosco e de consciência (...)

Nesse abril

24.03.22 | Lia Ramos | comentar
  Na ânsia de voar, pássaros soltaram as asas nesse céu de abril. Beijos apetecidos, e saciados. Dedos entrelaçados, abraços de vento. Maresia de sentidos nos olhares de luz. Nesse  abril, a seara era clara e bela sem ceifador de espigas. N (...)

Pede folga no céu.

18.03.22 | Lia Ramos | comentar
  Moras no Reino dos Pais acorrentado ao nosso amor e ao nosso sangue. Sinto as tuas mãos no meu rosto numa carícia de luz. Mimas-me com as asas nas noites em que te penso. Um toque que conheço bem. Cheira a ti, pai. Puro odor da vida. Te (...)

E quando as estrelas brilharam tudo

18.03.22 | Lia Ramos | comentar
E quando as estrelas  brilharam  tudo,     Tornaram as noites mais    luminosas.                 Sumiram com as sombras em mim.           Sigo a passos lentos.             Abraço abril,                 contigo. (...)